Minhas Histórias

Camafeus Wedgwood: joias em tons pastéis

Fundada em 1759 por Josiah Wedgwood, a manufatura de porcelanas inglesas Wedgwood inovou ao criar o “jaspeware”, porcelana fosca aos moldes do vidro “camafeu” produzido por Émile  Gallé e Daum Nancy, entre outros.

Sempre com fundos lisos de cor sólida, os desenhos inspirados na arte grega, romana e egípcia apareciam em relevo na tonalidade branca ou preta.

A técnica foi aplicada primeiramente em utensílios como pratos, xícaras, bules e vasos e, com o passar dos anos, em camafeus para joias como anéis, broches e pingentes, montados em prata e vermeil pela própria Wedgwood.

As combinações de cores são variadas: a mais popular é a azul e branco que, de tão famosa, acabou virando qualificação de azul: Azul Wedgwood.  Duplas como verde e branco;  amarelo e branco são bem populares também.

As mais raras, por sua vez, são terracota e negro, vermelho e branco e azul e negro.

Peças menores são mais fáceis de se encontrar. Em meu garimpos, tive a sorte de adquirir dois camafeus importantes, um deles datado de 1950 e já transformado em gargantilha com ouro amarelo, diamantes e rubis.

Costumo montar os camafeu Wedgwood com ouro branco também, usando diamantes brancos e negros para valorizar a peça, opaca por natureza.  Destaque para este anel com camafeu negro e figura de ninfa grega em branco.

Ao desenhar minhas joias com camafeus Wedgwood, me inspiro no estilo Art Déco – linhas geométricas e design mais limpo, que confere um ar mais contemporâneo ao camafeu.